Para uma metodologia no combate à corrupção: da doxa à episteme

Irene Portela

Resumen


Corrupção. Aquela palavra que nos põe um sorriso irónico nos lábios, tanto se fala contra ela e tão pouco se faz para acabar com ela. Pois na realidade, o combate da corrupção enquadrado num pacote de medidas de combate à corrupção não pode continuar a ser apenas uma medida pré-eleitoral, assumida pelo Partido eleito como apelo aos votos honestos e logo de seguida esquecida. Esta efemeridade de medidas fashion a favor da transparência passa a ser incómoda, fomentadora de discórdias e até de adversários, que contrariam os desejados consensos e compromissos úteis. O quadro da governabilidade prêt-a-porter não se compadece com estas políticas públicas de anti-sucesso. O combate à corrupção já não é uma questão do senso comum que nos remete para a doxa, mas uma ciência com conhecimento estruturado, a episteme. Esta é a essência deste trabalho, a metodologia da nova ciência da Integridade.


Texto completo:

PDF

Enlaces refback

  • No hay ningún enlace refback.


Copyright (c) 2014 Revista Enfoques

Revista Enfoques – ISSN 0718-9656 versión en línea | ISSN 0718-0241 versión impresa
Facultad de Gobierno – Universidad Central de Chile - Correo electrónico: jolguino@ucentral.cl
Sitio web adaptación de Open Journal Systems