O poder da burocracia no processo orçamental: O burocrata e a maximização orçamental

Soraia Marla Gonçalves

Resumen


Com este artigo pretende-se uma análise comportamental da burocracia com o objectivo de compreender o papel da burocracia no processo de decisão orçamental. Concretamente, pretende-se avaliar a acurácia da premissa maximizadora do modelo niskanieniano e a determinação dos principais factores influenciadores das preferências e do poder dos burocratas no processo orçamental. Admite-se a considerável influência exercida pela burocracia na formulação e implementação das políticas públicas, daí a análise comportamental da burocracia ser indispensável à compreensão do proceso e tomada de decisão. A questão assume uma importância acrescida se nos concentramos especificamente no processo orçamental, onde as características, motivações e relações entre burocratas e políticos são determinantes centrais do orçamento.


Texto completo:

PDF

Enlaces refback

  • No hay ningún enlace refback.


Copyright (c) 2015 Revista Enfoques

Revista Enfoques – ISSN 0718-9656 versión en línea | ISSN 0718-0241 versión impresa
Facultad de Gobierno – Universidad Central de Chile - Correo electrónico: jolguino@ucentral.cl
Sitio web adaptación de Open Journal Systems